Os profissionais de saúde do Hospital Regional de Luziânia (HRL) ganharam destaque no Portal da Secretaria de Saúde de Goiás (SESGO). Linha de frente no combate ao Covid-19, médicos, enfermeiros e técnicos são acolhidos e valorizados na unidade do Governo de Goiás no Entorno do DF.

Além de acompanhar os pacientes desde o momento da entrada, os profissionais de saúde também promovem o bem-estar, conforto e acolhimento até o momento em que o paciente deixa o hospital. Conversamos com alguns desses profissionais que estão na linha de frente em um momento tão sensível.

“O Centro de Material e Esterilização é o coração do hospital e eu me sinto muito importante de trabalhar aqui”, conta Andréia Peres, de 46 anos, técnica de enfermagem no Hospital Regional de Luziânia (HRL). Ciente da responsabilidade e da importância que a higienização assume nessa época de pandemia ela se sente orgulhosa de fazer parte da equipe. No HRL trabalham entre colaboradores diretos e indiretos são 262, sendo 130 profissionais somente no atendimento direto a pacientes com Covid-19.

Colaboradores

Em outra área do Hospital Regional de Luziânia, a enfermeira Ana Paula Souto, 24 anos, se prepara para começar a trabalhar. São 7h e ela está pronta para atender os pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Paramentada e protegida pelos Equipamentos de Proteção Individual ela se esforça para que os pacientes recebam além de cuidados técnicos, atenção e o carinho. São pequenos toques, um aceno de mão ou um sorriso paa  levar conforto a quem está ali, em isolamento.

Ana Paula decidiu ser enfermeira ao ver os cuidados que sua avó recebeu quando foi internada para combater um câncer. “Sou feliz cuidando dos outros e tenho certeza que os pacientes percebem. De uma forma geral o paciente fica mais tranquilo e mais confiante em sua recuperação quando é tratado com carinho”, explica a enfermeira.

Atuando no HRL desde a abertura do hospital, Ana Paula se sente prestigiada no local de trabalho. “Eu me sinto acolhida. Eu me sinto importante aqui, sinto que a enfermagem é muito valorizada no HRL. A unidade recebeu muito bem a gente o que me faz sentir orgulho de trabalhar aqui, além do que é um aprendizado diário para mim”, ressalta.

Equipe treinada e amparada

Dos 262 colaboradores do Hospital Regional de Luziânia, 130 são profissionais entre enfermeiros, fisioterapeutas, médicos e técnicos, os que são chamados de linha de frente no atendimento. Todos foram contratados no final de maio, quando a estrutura da unidade foi passada ao Estado de Goiás, para tratar exclusivamente de pacientes com Covid-19. Uma missão que envolve risco, já que a doença ainda não tem cura. Por isso, para apoiar os profissionais de saúde o Instituto de Medicina, Educação e Desenvolvimento –  IMED, que faz a gestão do hospital, promove workshops semanais. Os encontros servem para debater técnicas, protocolos de atendimento e também para suporte emocional da equipe.

“A pandemia é uma situação nova para todos e está exigindo competências que não foram mapeadas até então. Não basta mais ter conhecimento, empatia, gosto pelo aprender constante. Essa doença está exigindo esforço emocional para manter o equilíbrio”, explica Angela Chagas, gestora de RH do IMED. “Aqui nós revezamos os encontros entre passar saber acadêmico e elevar o moral com dinâmicas de acolhimento e valorização porque é fundamental que eles estejam bem para enfrentar esse desafio”, completa.

Nessa semana foram dois dias de curso com psicólogo e líderes comportamentais, em três turnos para que todos os colaboradores pudessem participar. O tema foi a pandemia emocional a que estão sujeitos os profissionais de saúde. Todos aprenderam técnicas de relaxamento e meditação para acalmar a mente e suportar melhor a pressão do dia a dia.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *