Rosilene, agora com 45 anos, comemorou entre profissionais e familiares

Rosilene da Silva teve seu aniversário comemorado entre familiares e profissionais da saúde. Foto: Luiz Fernando Fernandes

Festejar a data de nascimento é uma tradição comum em várias culturas e, em muitos países, a comemoração pode acontecer quando o aniversariante está hospitalizado.  É o que propõe o projeto “Amor além do vidro”, do Hospital Estadual de Luziânia (HEL), espaço envidraçado desenvolvido para que pacientes e familiares possam interagir durante as visitas.  O hospital trata exclusivamente pessoas diagnosticadas com a Covid-19.  

Na última terça-feira (14), Rosilene Luciano da Silva completou seus 45 anos e a equipe do hospital não deixou a data em branco. Por meio do projeto, Rosilene reencontrou seu filho e sua nora, que estavam a aguardando para a comemoração. Segurando balões, os familiares cantaram parabéns ao lado dos profissionais de saúde que acompanham a paciente. Todo processo de deixa do leito até o local onde é realizado o projeto é acompanhado por fisioterapeutas, maqueiros e técnicos de enfermagem para garantir a segurança de todos no ambiente.

Rosilene também recebeu felicitações de outros parentes por intermédio de áudios e vídeos reproduzidos pela psicóloga Laricy de Lima Souza, que acompanha todo processo. Com o auxílio da cantina do Hospital Estadual de Luziânia, um bolo foi produzido de acordo com a dieta estabelecida pelas nutricionistas para a paciente.

O filho, Wisley Luciano de Souza, agradeceu a equipe do HEL pela oportunidade rever a mãe em seu aniversário. “Foi ótimo celebrar o aniversário dela dentro do hospital. Todos foram muito prestativos, queria agradecer a todos, não tinha como ser melhor”, explicou.

Visita com música

No mesmo dia, outra visita através do projeto “Amor além do vidro” foi realizada. Adriel Gonçalves de Castro, de 83 anos e morador de Mambaí, foi recebido pelos netos e filhas. O reencontro se dá 22 dias após a internação do paciente. A neta de Adriel, Mikaelly Silva Castro, de apenas 10 anos, cantou a música “Hey, Pai”, da cantora Isadora Pompeo, para o avô internado. O momento foi de extrema emoção entre os presentes. Para o diretor-geral do Hospital Estadual de Luziânia, Francisco Amud, proporcionar tais encontros melhora o quadro dos pacientes. “Além de acalmar os familiares preocupados, a visita auxilia na recuperação, uma vez que eles se sentem mais seguros e confiantes em seus períodos aqui conosco”, finaliza.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content